Dona Canô inspira ‘restobar’ que serve pratos baianos e tem muita MPB

0
Objetivo é trazer para Curitiba a culinária da terra do descobrimento de um jeito mais contemporâneo. (foto: Fernanda Carollo/divulgação)

Objetivo é trazer para Curitiba a culinária da terra do descobrimento de um jeito mais contemporâneo. (foto: Fernanda Carollo/divulgação)

Dá para se dizer que o Canô é uma homenagem póstuma à matriarca de dois ícones da música brasileira: Caetano Veloso e Maria Bethânia. Ela faleceu em 2012 com 105 anos de idade! Ou seja, uma homenagem centenária.

Já o misto de bar e restaurante abriu há cerca de oito meses com uma culinária típica brasileira, resgatando as raízes do descobrimento. Ou seja, um cardápio que puxa bastante para a gastronomia baiana, mas com um conceito mais contemporâneo. Foi uma vontade do empresário Eduardo Gusso de resgatar a convivência direta com o público, já que “o Trip Bar, que também é meu, acabou perdendo um pouco daquela coisa mais intimista e direta com o cliente, até porque os antigos frequentadores acabaram casando, tendo filhos, e deixaram de frequentar o lugar”, explica. E o que se vê no Canô é exatamente isso, um Trip Bar como era no começo, antes de ser tomado por uma geração de jovens que lotam o salão.

Além de resgatar o prestígio do antigo público, Eduardo e os sócios Leandro Moska e Marcelo Gusso quiseram fazer algo diferente do que já existe em Curitiba. Se abrir um bar com petiscos tradicionais seria apenas mais um na boemia da cidade, por quê não uma coisa fora do comum, como a culinária baiana? Eduardo encontrou o diferencial e investiu nisso, contratando o chef Ricardo Rivera para criar todo o cardápio temático.

O Canô tem duas salas para servir os clientes. Em uma delas, maior e mais agitada, as paredes são decoradas com grafites que remetem à brasilidade. Já outra, mais calma, tem paredes de tijolo aparente. (foto: Fernanda Carollo/divulgação)

O Canô tem duas salas para servir os clientes. Em uma delas, maior e mais agitada, as paredes são decoradas com grafites que remetem à brasilidade. Já outra, mais calma, tem paredes de tijolo aparente. (foto: Fernanda Carollo/divulgação)

Ricardo já teve passagens por restaurantes de Fortaleza e de São Paulo, e acabou se radicando na capital paranaense. Ele pegou alguns pratos típicos da Bahia e fez uma releitura para adaptar ao gosto curitibano, como a porção de Acarajé Tinhoso (R$ 37,90). São seis unidades pequenas do mais famoso prato do tabuleiro da baiana, mas com a pimenta servida à parte para os gostos menos acostumados a temperos picantes demais.

Outra porção para compartilhar é a Berinjela dos Palmares (R$ 26,90) servida em três formatos diferentes: caponata, com uvas passas, pimentões, cebola roxa e azeitonas; raclet, que é gratinada no molho de tomate com queijo prato e parmesão; e melanzane, com os medalhões grelhados com creme de queijos, tomate e manjericão. Também dá para compartilhar com os amigos a porção de bolinhos de arroz de festa (R$ 21,50), enrolados com carne seca, ovo, dois queijos e cheiro verde.

Já outra porção para compartilhar sai da culinária baiana e puxa mais para a peruana: o Ceviche do Canô (R$ 34,90) é o peixe marinado no limão siciliano com ovo de codorna e tomate. No entanto, não é apenas o ceviche que acabou sendo ‘importado’ para o menu da terra de Canô. O wrap de linguiça Blumenau (R$ 23,90) leva também queijo prato, alface e tomate com molho barbecue ou de mostarda escura. E a saltimboca de frango (R$ 37,50) pode servir até duas pessoas, devido ao tamanho dos filés recheados com linguiça Blumenau e sálvia com molho de cerveja Malzbier acompanhados de purê de mandioca e queijos.

A porção de acarajés é a mais marcante do restobar, e a pimenta vem separada. (foto: Fernanda Carollo/divulgação)

A porção de acarajés é a mais marcante do restobar, e a pimenta vem separada. (foto: Fernanda Carollo/divulgação)

Estes pratos fazem parte do novo cardápio de verão do Canô Restobar, que tem ainda opções de hambúrgueres a partir de R$ 23,90 (com um vegetariano), tapiocas começando em R$ 19,50, e as saladas de R$ 21,90 a R$ 25,90. E as quatro sobremesas para fechar o jantar, como o brigadeiro de paçoquinha com flocos de Ovomaltine (R$ 15,90), e o Tablito (R$ 21,90), que é um creme brûlée com sorvete e raspas de chocolate com menta.

O Canô tem, ainda, uma carta de drinks assinada pelos bartenders Mr.Andrew e Diego Bastos, uma seleção de cervejas nacionais e importadas, chopes especiais Bencke e Way Beer (a partir de R$ 8,50), vinhos e cachaças. A capacidade da casa é de 88 pessoas.

Serviço:
Canô Restobar
Rua Mateus Leme, 787, Centro Cívico
Horário de atendimento: terça a sábado, das 18h a 0h.
Não possui valet/estacionamento.
41 3085-9148

Comentários do Facebook
Compartilhe

Autor

é jornalista especializado em gastronomia e cultura, publisher do site MinhaGula.com.br e colunista das revistas Dimensão e Aeroporto.

Comentários