Vinícola Vik lança blend especial e apresenta hotel em vale no Chile

0
O Vik 2011 é importado para o Brasil pela WorldWine, a R$ 870 segundo representantes da vinícola. (foto: divulgação)

O Vik 2011 é importado para o Brasil pela WorldWine, a R$ 870 segundo representantes da vinícola. (foto: divulgação)

Na última semana, o francês radicado no Chile Gonzague de Lambert esteve em Curitiba apresentando uma saborosa novidade para os apreciadores locais de vinhos. Ele é o diretor de marketing da vinícola chinela Vik, e trouxe à cidade o “Vik 2011″, um blend feito com a maturação tardia de de cabernet sauvignon (55%), syrah (4%) e franc (7%). O blend leva, ainda, porções de merlot (5%) e carmenére (29%).

O Vik 2011 é um vinho encorpado que lembra um Grand Vin de Bordeaux, com equilíbrio sutil e aromas de frutas vermelhas e toques de baunilha. A maturação é feita em barricas de carvalho novas de carvalho fabricadas pelas tanoarias francesas Seguin Moreau, Demptos e Sylvain. O Vik 2011 foi envelhecido por 23 meses com transfega (racking) a cada 3 meses, e levemente filtrado
antes mesmo de ser envasado em 5 de Abril de 2013.

Os vinhos da Vik são produzidos em uma pequena vinícola com hotel boutique no vale do Millahue, no centro-sul do Chile. O local começou a funcionar em 2006 com o empresário norueguês Alexander Vik a frente do negócio. A propriedade tem 4.300 hectares e produz apenas blends da bodega, com as uvas apresentadas neste rótulo. A primeira safra ocorreu em 2009, e não parou mais.

O blend é elaborado com cepas de cabernet sauvignon (55%), syrah (4%), franc (7%),  merlot (5%) e carmenére. (foto: divulgação)

O blend é elaborado com cepas de cabernet sauvignon (55%), syrah (4%), franc (7%), merlot (5%) e carmenére (29%). (foto: divulgação)

Para tocar a produção, foram chamados os enólogos franceses Patrick Valette (Saint-Émillion, Bordeaux; trabalhou na Châteaux Pavie e Principal, do Vale do Maipo), Gonzague de Lambert (Universidade de Bordeaux, trabalhou no Château de Salles), e o chileno Cristián Vallejo.

No Brasil, o Vik 2011 é importado pela WorldWine a US$ 140. Com taxas de importação e cotação do dólar, o rótulo foi apresentado à reportagem ao preço de R$ 870.

O Hotel

O hotel da vinícola possui uma arquitetura futurista, e se destaca no meio dos parreirais. (foto: divulgação)

O hotel da vinícola possui uma arquitetura futurista, e se destaca no meio dos parreirais. (foto: divulgação)

A bodega Viña Vik é uma construção em estilo futurista, com um arco precedido por um espelho d’água pontilhado com rochas de granito da região, assinado arquiteto chileno Smiljan Radic. No interior da vinícola ficam as cubas de fermentação, as adegas de garrafas e os 1600 barris de carvalho francês novos. Com teto de titâneo bronzeado, o prédio futurista tem uma piscina de borda infinita e 22 suítes decorados individualmente com obras de arte de artistas chilenos, entre eles Sebastián Valenzuela, Francisco Uzabeaga e Pablo Montealegre.

Por todo o interior do hotel estão esculturas e pinturas de artistas locais, além de móveis de autor. No restaurante, a gastronomia na Viña Vik resgata o terroir chileno, com pescados frescos do Pacífico, salmão chileno, carnes e ingredientes trazidos de produtores da região. Também há os pães caseiros e doces, preparados artesanalmente. A culinária do hotel segue a linha contemporânea internacional, e apresenta também a tradicional parilla sul-americana. Na carta de vinhos estão os rótulos da vinícola, que podem ser degustados harmonizando com os pratos ou mesmo no terraço com vista para as colinas cobertas pelas vinhas.

A piscina da Viña Vik é um convite para apreciar o vale de Millahue. (foto: divulgação)

A piscina da Viña Vik é um convite para apreciar o vale de Millahue. (foto: divulgação)

No terraço, ainda, está a piscina de borda infinita de ardósia, como se estivesse flutuando sobre os parreirais. Caso nadar não seja a programação do visitante, a Viña Vik promove degustações acompanhadas por especialistas e passeios de bicicleta pelos vinhedos, cavalgadas e até vôo de balão. Há ainda um Spa especializado em tratamentos à base das propriedades nutricionais do vinho complementam a experiência.

A vinícola e o hotel seguem padrões sustentáveis de operação e produção, com o uso de energia solar e reaproveitamento de água da chuva armazenada em um lago, para irrigar os 400 hectares de vinhedos.

As diárias do Vik começam em US$ 1200 por casal, com café da manhã, almoço (bebidas sem álcool e 1 taça Vinho Vik por adulto) e jantar (bebidas sem álcool e 1 garrafa Vinho Vik por casal).
As degustações na bodega estão abertas também aos visitantes que não estejam hospedados no hotel. A visita por ser acompanhada de parilla (churrasco) em meio aos vinhedos.

Serviço:
Vinícola Viña Vik Hotel

Compartilhe

Autor

é jornalista e publisher do MinhaGula.com.br / Paraná Portal Gastronomia.

Comentários